Domingo 25/09/22, 17h32, dia 29 de Elul 5782

6 de set. de 2021

Depois de Arvit, se deseja “Shana Tova Umetuka, Tikatev Utehatev!”
Pratos especiais da refeição da primeira noite de Rosh Hashaná, Hala redonda com mel, cabeça de peixe, MAÇA COM MEL, cenouras com mel

Primeira noite de Rosh Hashana ANO 5783, Ascender as velas: 17h32 e pronunciar:

1 Baruch Ata Adon’ai Elo-henu Melech Haolam Asher Quideshanu Bemitsvotav Vetsivanu Lehadlic Ner Shel Iom Hazicaron
2 Baruch Ata Adon’ai Elo-henu Melech Haolam Shehecheianu Vequiyemanu Vehiguianu Lizman Hazé

Rosh Hashaná, a cabeça do ano

Todo judeu participa, de um modo ou de outro, de Rosh Hashaná ou de Iom Quipur.

E isso não é por acaso: o significado destes dias é tão profundo que atinge cada alma judia, qualquer que seja o seu nível. .Em Rosh Hashaná, D’us concluiu a criação deste mundo, ao criar o primeiro homem, Adam. O primeiro gesto de Adam foi o de proclamar D’us Todo-Poderoso, o Rei do Universo. “Venham, rezemos, prostremo-nos, ajoelhemos diante de D’us nosso Criador”: foi assim ele se dirigiu a todas as criaturas .É por isso que em Rosh Hashaná (que literalmente significa a “cabeça do ano”), cada um de nós também proclamamos a Realeza de D’us e nosso compromisso em servi-lo. Como no primeiro Rosh Hashaná, em que D’us, pela primeira vez, criou o mundo, a cada ano, Ele reconsidera sua criação, examina a qualidade dos laços com os quais nos unimos a Ele e determina a natureza da Sua relação conosco para o ano que começa.

O Shofar

Este ano vamos tocar Shofar. É fundamental ouvir durante o dia pelo menos os trinta primeiros toques do ciclo. O Shofar, o mais antigo dos instrumentos de vento, tem muitos significados. Entre eles:

· proclama a coroação de D’us como Rei do universo,

· provoca em nos um despertar e nos conduz ao reencontro com D’us,

· traz para nós a lembrança do Shofar ouvido no Monte Sinai quando, para a eternidade, aceitamos os Mandamentos

Tashlich

APÓS a oração de Minchá, nos dirigimos a um curso de água que contenha peixes e recitamos as orações de Tashlich, por meio das quais “atiramos ao longe” nossos pecados. Assim como os peixes dependem da água, nós também dependemos da Providência Divina. O olho do peixe, sempre aberto, simboliza a atenção constante que D’us nos outorga.

OS DEZ DIAS DE ARREPENDIMENTO

Os dois dias de Rosh Hashaná, os sete dias seguintes e finalmente, Iom Quipur, fazem um conjunto de dez dias especialmente propícios para a Teshuvá, voltar-se para nós analisando e melhorando nossa condição de judeu. Um dia depois de Rosh Hashana contece o jejum de Guedalia que comemora o assassinato trágico de um grande chefe do nosso povo durante o exílio da Babilônia.